person_outline



search

Beira-mar

Todas as portas parecem um mar não traduzido pela escola de mistérios. Pra onde esse oceano de dor vai me levar? De onde veio essa inundação de amor que me pegou com a guarda baixa? Caminhar pelo corredor em meio a infinitos mundos me sufoca, ver o que é sentir faz todo esse universo que é viver me sentir um intruso, não saber qual porta está batendo faz meus ouvidos sangrarem, saber que ainda existe uma escondida aberta no fim do corredor me joga de frente pro espelho: hipócrita. Como Deus espere que eu me inunde e me torne um com o ciente? Eu estou ciente que tudo está se perdendo, mas é essa a resposta? Como, apenas como. Meus joelhos estão ralados, eu acho que tenho de interromper os meus gritos e sentir o silêncio, as vezes ele me diz apenas para esperar, como se o fim das lágrimas tivesse uma data marcada em seu calendário. Pensar nisso é ter esperança? Eu não quero esperar nada do amanhã e não quero ser mais que uma poça rasa esperando por ser pisada. Mas eu já não sou? Se sim, me deixe esperar aqui na beira do mar, por favor, me deixem evaporar.
Pin It
Atualizado em: Seg 1 Fev 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222