person_outline



search

Histórias para crescer - livreto 1

Marcos    Flausino
 
HISTÓRIAS PARA CRESCER
LIVRETO 1
                                       Ubatuba / 2020
OBS: Olá a todos vocês que vierem ler esta pequena história. Já de antemão peço desculpas e compreensão por erros que forem descobertos por vocês. Já agradeço !!
O homem da praça.
Era uma vez um homem muito conhecido na cidade, por ter  feito fortuna, e mesmo assim andava de forma simples, não aparentando ser o que diziam.
 
Sempre ia a praça da cidade, alimentava os pombos, depois se levantava e dava algumas sacolas com alimento aos pobres que ficavam perto da praça. Ia aos comércios locais onde tinha velhas amizades, e conversava com seus amigos de infância que por ali ainda estavam.
Sempre a mesma rotina, somente de tempos em tempos viajava e para seus negócios, permanecia algumas semanas fora e quando retornava, fazia seu percurso rotineiro.
Às vezes também ia ao cemitério de seu bairro, para orar e ver túmulos de parentes que já haviam partido, e de amigos que tinham ido cedo de mais.
Um dia na praça um jovem veio conversar com ele, por curiosidade, de tanto que falavam de sua riqueza.
O homem permitiu que o jovem se aproximasse, e fizesse a pergunta.
O jovem logo questionou: - é verdade sobre o senhor ser tão rico?
O homem olhou respondeu:- é o que dizem!
O jovem emendou: Como o senhor fez tanta fortuna?
O homem: - trabalho e perseverança!
O  jovem : - Mas o senhor não parece gastar seu dinheiro !
O homem: - há tempo de juntar, e tempo de gastar !
O jovem perdeu a esperança de ter respostas sobre o que queria. Achando que eram só historias sobre a riqueza daquele homem. Mas antes de ir tentou uma ultima vez: - O senhor teria algo para me ensinar, sobre como conquistar aquilo que eu desejo?
Pela primeira vez o homem parou de alimentar os pássaros, e deu atenção ao jovem.
Disse o homem: - como agora perguntou algo que realmente possa fazer diferença, irei te contar uma pequena história, que você ouvirá com atenção sem interromper!
O jovem fez que sim, que não abriria a boca.
 
 
Há muito tempo em uma cidade mercante, de tempos em tempos um sábio muito rico ia à praça para contar suas histórias, e sempre dava aos ouvintes, além da histórias algumas moedas, e para outros algumas pedras de cores diferentes, que muitos acreditavam dar boa sorte, mas poucos eram escolhidos para recebê-las, os escolhidos iam até uma pequena tenda onde estavam as pedras.
Naquele dia ele disse que numa de suas viagens encontrou um grupo  que discutia sobre como conseguir muito dinheiro e ficar rico.
O primeiro do grupo disse que era preciso encontrar boas mercadorias.
O segundo disse que era preciso saber vender bem, com bons lucros, comprando barato e vendendo caro.
Um terceiro falou que saber cativar o cliente, e ter o público certo, pra não perder as mercadorias.
Outro com um pouco de experiência disse, que localização certa no mercado facilitava as vendas, e fazer girar rápido o que comprava.
Assim cada pessoa do grupo compartilhava seu conhecimento para que os novos pudessem aprender.
Ao chegar à vez do homem mais antigo e respeitado, todos ficaram quietos, ele olhou todos e agradeceu o que cada um tinha dito, exaltou a cada um dos amigos, e falou aos novos.
 
Todo conhecimento é válido, se usado com sabedoria, cada experiência é única e intransferível. Carreguem dentro de vocês as histórias que ouvirem, no fim são só historias. Mas cada uma carrega um conhecimento que irá se transformar dentro de vocês, e quando isso acontecer em cada um de vocês vai variar saber como e quando tomar as decisões, aprendam o que puderem como homem que procura água para aplacar a sede, pois é isso que leva cada um de vocês a procurar a riqueza que tanto desejam, e desistir não é uma escolha.
E assim alguns que estavam naquele grupo, e que estavam na primeira viagem de compras, anotavam tudo, e gastariam todo o seu dinheiro comprando as melhores mercadorias quando chegassem a cidade central de compras , para depois venderem em suas cidades.
 
Passado o grande homem, este chamou alguns dos novatos à tenda pediu que escolhessem o que quisessem, e explicou:
- a pedra vermelha – conhecimento;
- a pedra azul – dinheiro;
- pedra verde – esperança;
- pedra roxa – perseverança/fé;
- pedra negra – sabedoria;
- pedra amarela – sorte;
Cada um entrou na tenda, e foi escolhendo cada um sua pedra, mas um jovem esperou por último que todos saíssem, e perguntou algo ao Sábio, depois saiu. Foram ter com o jovem o que havia perguntado, mas não poderia dizer, pois jurou segredo.
Os anos se passaram até que todos se encontrassem de novo. E ao se juntarem, se colocaram a contar suas histórias e dicas, sobre os sucessos e erros que cometeram ao fazer seus negócios, e o quanto alcançaram de seus objetivos.
Quando foi a vez do Sábio falar, ele avistou no fundo o jovem, agora mais encorpado, com roupas mais vistosas, logo sorriu pois viu que o jovem atingira todos os objetivos, e como no grupo estavam todos aqueles que entraram  na tenda para pegar as pedras. O Sábio fez uma pausa, e chamou o jovem para contar sua história, mas ao subir o sábio fez um aceno, e disse que agora poderia contar o que havia pedido.
Assim os mistérios que perdurara por anos seriam desfeitos, mesmo porque era claro que de todos, o jovem tinha alcançado a riqueza que tanto desejava.
  O jovem ao começar a falar, disse que esperou todos escolherem por serem mais velhos, como forma de respeito como havia aprendido com seus pais, mas tinha medo de não sobrar nenhuma pedra, mas deu tempo de pensar sobre se queria: dinheiro, sorte, perseverança, esperança, esperança/fé e sabedoria. Não conseguia se decidir por qual delas escolher, pois achava que uma completava a outra naquilo que o levaria a riqueza, para assim tirar sua família da pobreza.
Depois que todos saíram, ele perguntou ao sábio se podia pegar uma pedra de cada cor para lembrar-se do que precisava para alcançar seus objetivos, o Sábio dera risada na época, já que nunca dissera que deveria escolher só uma pedra, mas pedira para eu nunca dizer o que acontecera, e quando fosse o dia certo eu contaria o fato, que hoje ocorre. Assim peguei as pedras e fiz delas um colar que carrego comigo até hoje, e toda noite olho cada pedra e lembro-me dos significados, e como cada um auxiliou em alcançar minha riqueza e levar aos meus pais paz e conforto, e ainda constituir minha família, noite após noite, eu pegava o colar e a cada pedra eu fazia minhas orações, e a cada manhã me colocava a trabalhar.
Hoje agradeço ao Sábio por ter me dado tudo sem nada cobrar.
 
 Terminando esta história o homem se levantou do banco e olhou para o jovem, que parecia estar em outro lugar. Assim bateu palmas em frente, e logo ele acordou de sobressalto. O homem disse que no dia seguinte estaria ali, e foi embora sem nada mais dizer.
 
           Até logo !!!!!!!!
Pin It
Atualizado em: Seg 5 Abr 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222