person_outline



search

NEM UM LUGAR ALGUM

Sim, deixei que muitas portas abrissem
aqui por dentro (no corpo e no espírito).
Percebia que tudo em mim vazava e saía,
e depois fingia que voltava pelas narinas.
 
O acaso é meu rei… A morte, minha rainha.
Busco o que não tem bússola, nem moradia
(que nunca estará onde os tolos gostariam):
a passagem imprevisível e etérea da poesia.
 
Às dezessete, o outono, enfim, predomina.
E resfria, de supetão, o roxo acolá da linha.
Pin It
Atualizado em: Seg 25 Abr 2022

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222